Ela responde em liberdade desde 2015, mas deve cumprir as exigências do juiz do caso, que seriam: pelo período de dois anos, Rafaella não poderá se ausentar da cidade onde reside por mais de oito dias sem autorização do juiz, não pode se mudar sem comunicar a autoridade e precisa, de dois em dois meses, comparecer à justiça.O processo, que está sob a tutela do juiz o juiz Marco Antonio Vieira de Moraes, no Fórum de Santo André, corria em segredo de justiça, mas, agora, é aberto para qualquer pessoa que queira consultar o andamento dele. Após o início do processo, em 2015, ele foi suspenso por dois anos, para a colheita de provas.